Image by Shelley Pauls
submission_592_524_coverImage_en_US.jpg

Resumo

Desde janeiro de 2020, um consórcio multissetorial de instituições madeirenses está envolvido no projeto INTERREG SABOREA Mac. O principal objetivo deste cluster regional é colocar a Madeira no mapa dos destinos gastronómicos. O momento não poderia ser pior: um desastre à escala mundial que afeta gravemente a indústria do turismo no âmbito de uma pandemia, que ninguém previu. Estamos hoje perante uma falta absoluta de estudos sobre o impacto de uma crise sanitária de tal magnitude, impensável há um ano, nesta área de atividade. Olhar para o passado é uma forma de responder à necessidade de reavaliar no imediato a estratégia delineada anteriormente pelo consórcio SABOREA numa conjuntura totalmente diferente. Neste artigo, analisaremos o plano de ação adotado pelos organizadores do Vº Centenário do Descobrimento da Madeira no final da Primeira Guerra Mundial. Perante os efeitos cumulados do conflito e da gripe espanhola, conceberam uma estratégia de “rebranding”, que continua, ainda hoje, a moldar a perceção do destino Madeira. Este caso de estudo serve como ponto de partida para reavaliar em que medida o projeto em análise ainda se adequa no contexto pós-pandémico.