Image by Shelley Pauls
submission_592_524_coverImage_en_US.jpg

Resumo

Desde janeiro de 2020, um consórcio multissetorial de instituições madeirenses está envolvido no projeto INTERREG SABOREA Mac. O principal objetivo deste cluster regional é colocar a Madeira no mapa dos destinos gastronómicos. O momento não poderia ser pior: um desastre à escala mundial que afeta gravemente a indústria do turismo no âmbito de uma pandemia, que ninguém previu. Estamos hoje perante uma falta absoluta de estudos sobre o impacto de uma crise sanitária de tal magnitude, impensável há um ano, nesta área de atividade. Olhar para o passado é uma forma de responder à necessidade de reavaliar no imediato a estratégia delineada anteriormente pelo consórcio SABOREA numa conjuntura totalmente diferente. Neste artigo, analisaremos o plano de ação adotado pelos organizadores do Vº Centenário do Descobrimento da Madeira no final da Primeira Guerra Mundial. Perante os efeitos cumulados do conflito e da gripe espanhola, conceberam uma estratégia de “rebranding”, que continua, ainda hoje, a moldar a perceção do destino Madeira. Este caso de estudo serve como ponto de partida para reavaliar em que medida o projeto em análise ainda se adequa no contexto pós-pandémico. 

image_Publicações.webp

Resumo

Turismo e Gastronomia (T&G) foi publicado em 2002. Ainda hoje, este livro é uma referência indispensável para pesquisadores de diferentes perspectivas disciplinares que estudam como alimentos e bebidas estão ligados a mobilidade de lazer. Na ocasião, os colaboradores testemunharam uma grande mudança no comportamento do consumidor, que em breve transformaria o ato de comer e beber numa unidade de primeira ordem deste setor de atividade. O objetivo dos editores era mapear a evolução desta nova tendência e prever o futuro da gastronomia e do património culinário no turismo. Este artigo revisitará T&G para entender completamente como, em apenas vinte anos, o que antes era apenas um ‘não-opcional’ parte do pacote tornou-se um nicho próspero, e mais tarde um componente primário de viagens recreativas. A abordagem de 'retrocesso' aqui adotada nos permitirá refletir sobre como a crise do COVID-19 afeta as escolhas dos turistas, que poderia ajudar na concepção de planos de recuperação mais eficientes.